Historial da Fanfarra

 

1953

Os B. V. Arrifana compareceram no aniversário da Associação humanitária dos B. V. de Oliveira de Azeméis, com um clarim e dois caixas.

 

1956

Primeira aparição Pública como Fanfarra, com 20 elementos, causando grande admiração a excelente qualidade evidenciada.
Daí para cá, num trabalho de muita persistência e dedicação duplicou os efectivos e granjeou enorme prestígio a nível nacional, como atestam as recepções às mais altas individualidades civis, militares e religiosas de Portugal. Participações em Congressos de Bombeiros, Desfiles e Concursos de Fanfarras, Festas, etc.

 

Actualmente

Com cerca de 30 elementos, são comandados pelo Subchefe José Miguel, e apresentam-se com garbo, disciplina e competência em todos os actos, identificando a Fanfarra dos B. de Arrifana como uma formação de referência no nosso País.

 

A compra da lira...

 

No início dos anos setenta, o Comandante Amorim, grande admirador da fanfarra numa viagem à Alemanha, assistiu a um desfile de um agrupamento do género onde sobressaía uma lira.

Entusiasmado com a sua beleza e valorização que daria à sua fanfarra decidiu comprar uma.

Ainda hoje são raras as fanfarras de bombeiros que possuem este instrumento com uma função social e cultural muito importante, tem actuado do Minho ao Algarve, dignificando o nome da Associação Humanitária a que pertence e também à Vila de Arrifana.

Os ensaios semanais que se realizam são indispensáveis para o bom êxito das actuações, são também, excelente oportunidade para os momentos de convívio e para o reforço do espírito de equipa do corpo de Bombeiros.